O CRESCIMENTO IRESISTÍVEL DO REINO – MARCOS 4.26-29

0 Ações
0
0
0

Mensagem pregada no culto noturno IBVB de 23 de agosto de 2021

INTRODUÇÃO

  1. Todos somos chamados para semear mas, Deus é quem faz crescer. O que você diria e como reagiria seu eu dissesse:
  2. A profissão que você escolheu lhe dará muitos frutos maravilhosos na sua vida e da sua família!
  3. A esposa que você escolheu lhe dará plena alegria e de fato será a sua costela perdida!
  4. O marido que você escolheu te amará, te protegerá e será um guia seguro no caminho de Deus!
  5. Você escolheu ser um pastor e um Missionário e por meio de você muitas pessoas se converterão, se reconciliarão, serão edificadas!
  6. Que você, como um servo de Deus, inspirará a vida de muitas pessoas a terem um relacionamento com Cristo!
  7. Sem querer dar um banho de água fria em ninguém, não é possível saber se tudo isto vai acontecer na sua vida, principalmente porque demandam muito tempo e cuidado.
  8. Mas a mesma empolgação que nos tomaria se cada palavra dessa fosse verdade é esperada de nós quando ouvimos que o Reino de Deus vai crescer de qualquer forma até ser pleno, que o conhecimento de Cristo tomará toda a criação, que todo mal será punido, que Cristo será reconhecido como Rei de Tudo e com ele reinarão seus servos pela Eternidade.
  9. O que pouco nos damos conta é que as bases, fundamentos, ou as SEMENTES deste Reino já foram lançadas e estão se formando em nós e em muitos espalhados por todo mundo.   

O TEXTO

  1. O momento do ministério de Jesus na sua relação com os discípulos é singular: ele já disse que os frutos da palavra não vingarão em todos, já disse que deveriam brilhar nas trevas porque o mundo os sufocaria, que deveriam continuar firmes porque a oposição é inevitável e agora afirma que os resultados são lentos, mas verdadeiros e duradouros. É uma parábola encorajadora que não aparece em outros Evangelhos.
  2. 26 E dizia: O Reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra, 27 e dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente brotasse e crescesse, não sabendo ele como – Mais uma vez temos um semeador na história, mas agora a ênfase está no crescimento lento e consistente dos frutos que plantou, mas sem o trabalho do semeador porque isto depende da própria semente. Obviamente, mais uma vez Jesus está falando da pregação da Palavra pelo seus discípulos e sobre o surpreendente resultado que podem esperar, mas que não depende deles. Discípulos apenas semeiam. Apenas pregam o Evangelho. Por isto Paulo diz em 1 Timóteo 5.17: Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina.      
  3. 28 Porque a terra por si mesma frutifica; primeiro, a erva, depois, a espiga, e, por último, o grão cheio na espiga. – Sobre os elementos da parábola é sempre perigoso exagerar no detalhamento de uma parábola porque a mensagem geral é o que importa, mas ele afirma que:
  4. A parábola ensina que o Reino cresce por si mesma quando o semeador fez sua parte. Aqui é importante lembrar que a Parábola fala de pessoas e não de coisas. 
  5. O semeador não sabe como cresce: da semente tornando-se erva, a erva uma espiga, um grão cheio na espiga. Jesus não está contra os cientistas de plantão que sabem como plantas se desenvolvem, mas afirmando que está fora da nossa capacidade fazer isto acontecer, assim como está fora da nossa capacidade fazer a Palavra de Deus dar frutos. Ela dá fruto por si só desde que seja lançada. Portanto, veja como é temerário parar de pregar, focar nos temas da moda, adaptar nossa mensagem para torná-la palatável a solos improdutivos. O povo de hoje grita e clama: Nos alegrem! Nos divirtam! Nos dê experiências! Diga palavras que soem como canções de ninar aos nosso ouvidos! 
  6. Tudo se desenvolve em etapas necessárias e lentas que não podem ser puladas ou aceleradas. A pregação e a vida no Evangelho é sempre um trabalho longo e de muita paciência, para quem confia no Senhor e sabe esperar: Exemplos: o longo e penoso caminho de construção de uma igreja. O longo e doloroso caminho da evangelização (Salmo 126.5-6). O longo e penoso caminho do crescimento pessoal que é nossa responsabilidade. O longo e penoso caminho da construção de um casamento e de uma família sólidas.
  7. 29 E, quando  o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa. – Estando pronta, será colhida. Apesar do uso da foice no texto, neste caso não é algo ruim, mas uma expressão de Jesus para afirmar que Ele colherá os frutos do Evangelho. É uma parábola também escatológica, portanto, exige fé porque ainda não vemos. Parece que os frutos verdadeiros da vida cristã não são necessariamente colhidos enquanto estamos aqui ou imediatamente. Isto é algo que exige entendimento e fé. Nenhum cristão é incentivado a fazer sua parte sem preocupar-se com resultados, mas para entender que os resultados são espirituais, de longo prazo, incompreensíveis e invisíveis aos olhos humanos. Mas serão muitos, visíveis e louváveis no futuro. Como o semeador da passagem também inclui os discípulos, as nossas limitações humanas também estão previstas: O semeador não sabe tudo. Por isto, pode perguntar: Como Cristo toma o coração e a mente de alguém? Como alguém passa a ser dele? Como alguém cresce na fé? Quem de fato será colhido e quem será jogado no monturo para ser queimado? Estas respostas nós não temos.

CONCLUSÕES

  1. Não podemos ter dúvidas de que a melhor coisa que podemos fazer pelo mundo, por nossa família, por nossa igreja, por nosso amigos, etc., é sendo os mais competentes semeadores que pudemos ser. Nós é que espalhamos a semente do Reino tanto quanto pregamos aos incrédulos quanto pela forma como vivemos entre os crentes e salvos.
  2. Nada de verdadeiro e duradouro na vida, e principalmente no Reino de Deus, é fruto do acaso, ou surge do nada pronto, as melhores coisas e as verdadeiras nascem e crescem lentamente. Nós mesmo somos produtos da ação continua e lenta de Cristo em nós. Nenhum de nós está pronto, sabe de tudo, viveu tudo que deveria.
  3. Não dá para queimar etapas no Reino, mesmo desejando a vinda de Cristo, um desejo esperado de todo o crente, não podemos deixar de vigiar, de congregar, de estudar a Palavra de Deus, de aceitar os nãos da vida, tudo que é esperado de nós é muita paciência e perseverança.
  4. Finalmente, devemos crer na promessa feita por Cristo de que colherá os frutos na sua vinda e de que seremos parte dele. 
0 Ações
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você Também Pode Gostar